S´bado, 25 de outubro de 2014

 

HOME > CORREIO BRAZILIENSE APOIA PROJETO DE TRANSMISSÃO DE ÓPERAS EM ALTA DEFINIÇÃO

Correio Braziliense apoia projeto de transmissão de óperas em alta definição

A MovieMobz exibe nos cinemas brasileiros as óperas do Metropolitan Opera, NY. É um projeto inovador, de conteúdo diferenciado e tem sido um grande sucesso em vários países. O Correio Braziliense, tendo em vista o grande interesse do seu público por eventos dessa natureza, entra como apoiador institucional a fim de reforçar o caráter cultural de sua marca.

A primeira apresentação, no Rio de Janeiro, foi da ópera La Rondine, de Puccini em 1º de fevereiro de 2009, no Odeon BR. Foi sucesso absoluto com 100% de lotação e fila de espera. Em Brasília, a estreia foi em 15 de fevereiro com a peça de Gluck, Orfeu e Eurídice. Cine Academia (Academia de Tênis) e Embracine (Casa Park) são os cinemas participantes do projeto.

Filmadas em alta definição no Metropolitan Opera, de Nova York, tratam-se das grandes obras desse gênero já compostas. Com produção esmerada e direção de grandes profissionais da arte da representação, as óperas que farão parte da programação são, sem dúvida, ótimas opção para os apreciadores da música e do cinema.

Programação prevista (sujeita a alterações):

Orfeu e Eurídice – 15/02 (reprise em 17/02)
Lucia di Lammermoor – 08/03 (reprise em 10/03)
Madame Butterfly – 22/03 (reprise em 24/03)
La Sonnambula – 05/04 (reprise em 07/04)
La Rondine – Abril (a definir)
La Cenerentola – 24/05 (reprise em 26/05)


Quando na terça-feira fui assistir à ópera Orfeu e Eurídice, de Gluck, o cinema estava lotado. Pessoas voltaram por não conseguir ingressos, outras ficaram firmes esperando desistências. Primeiro tentei comprar ingresso para o domingo, mas já não consegui. Isso virou uma febre. Uai! Não viviam dizendo que a ópera tinha acabado? De repente, o Metropolitan Opera House de Nova York descobriu a pólvora ou o caráter explosivo da ópera. Criou um projeto de filmar cuidadosamente suas óperas e exibi-las em cinemas de todo o mundo. Nos Estados Unidos, são 60 cinemas, no Brasil já são 14 salas em seis cidades (Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Brasília). Bem, se essa afluência de público está ocorrendo com óperas pouco conhecidas como La Rondine, de Puccini, e esse Orfeu e Eurídice, de Gluck, imaginem quando chegar a hora da Traviata e da Madame Buterfly!

AFFONSO ROMANO DE SANT’ANNA, ESCRITOR E COLUNISTA DO CORREIO BRAZILIENSE. PUBLICADO ORIGINALMENTE EM 22/02/2009. CADERNO C.

 

VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO

ANUNCIE EM NOSSOS VEÍCULOS

EMPRESAS DO GRUPO

FUNDAÇÃO ASSIS CHATEAUBRIAND

 

topo ^